6 comentários:
De Maria Papoila a 30 de Junho de 2006 às 00:26
Olá Mar:
Lindíssima esta foto de um campo lavrado.
Que saudades do cheiro a terra molhada numa tarde de Verão...
Texto belíssimo sob a vastidão da saudade.
Beijo


De Nilson Barcelli a 30 de Junho de 2006 às 12:33
Isso é que é saudade a valer.
Beijinhos e bom fim-de-semana.


De isa&luis a 1 de Julho de 2006 às 10:13
Olá menina,
Imagem linda, palavras que nos falam de saudade, o tempo alivia mas a dor fica

Deixo te um poema meu

Chuva na vidraça

A chuva bate na vidraça e, levemente,
sinto a apatia envolver-me docemente.
Deixo a minha alma entoar o cântico
da solidão, que congela todo o meu ser
e transforma a minha vida num mar turvo.
Escondo-me desde o amanhecer,
sou tão pequena, tímida e enjeitada,
que até parece que nasci amaldiçoada
pelos golpes desenhados na minha pele
nesta luta diária sem rumo nem liberdade.
Continuo ensaiar a tristeza com um sorriso,
banhando-me no rio do esquecimento
enquanto caminho e corro atrás do tempo.

beijinhos muitos para ti

Isa


De maresiasuave a 2 de Julho de 2006 às 19:20
Ola:)) Gostei mt do teu Blog e dessa imagem fantastica. palavras subtis e belas...cheias de
saudosismo...
Voltarei brave deixo convite

Maresi@


De António a 2 de Julho de 2006 às 19:28
Saudades quem as não tem ? Julho . Terras áridas e quentes.
Saudades de tempos idos que têm a cor da terra. António da Louletania


De paulo a 3 de Julho de 2006 às 01:15
Mar, mãe natureza, expressão calma do mundo bucólico, cheiro a terra e a ervas, flores ao longe, sussuros mil, como é bom sentir a terra, como é bom passar o tempo entre as árvores do teu jardim. Beijinhos ;)))


Comentar post